Carregando...
 
id da página: 249 Verdade e Método
Gadamer - Verdade e Método

Publicado no Brasil pela Vozes em dois tomos, apresentamos a seguir seu índice geral, sobre o qual estaremos construindo um resumo da obra (vide Vocabulário da Hermenêutica)

  • Verdade e Método I
    • Introdução
    • PRIMEIRA PARTE: A LIBERAÇÃO DA QUESTÃO DA VERDADE DESDE A EXPERIÊNCIA DA ARTE
      • 1. O ato de transcender da dimensão estética
        • 1.1. A significação da tradição humanística para as ciências do espírito
          • 1.1.1. O problema do método
          • 1.1.2. Os conceitos-guia humanísticos
            • a) A formação
            • b) O sensus communis
            • c) O juízo
            • d) O gosto
        • 1.2. A subjetivação da estética pela crítica kantiana
          • 1.2.1. A doutrina kantiana do gosto e do gênio
            • a) A caracterização transcendental do gosto
            • b) A doutrina da beleza livre e dependente
            • c) A doutrina do ideal da beleza
            • d) O interesse pelo belo na natureza e na arte
            • e) A relação entre o gosto e o gênio
          • 1.2.2. A estética do gênio e o conceito de vivência
            • a) O impor-se do conceito do gênio
            • b) Sobre a história da palavra "vivência"
            • c) O conceito de vivência
          • 1.2.3. Os limites da arte vivencial - Reabilitação da alegoria
        • 1.3. A retomada da questão pela verdade da arte
          • 1.3.1. A questionabilidade da formação estética
          • 1.3.2. Crítica da abstração da consciência estética
      • 2. A ontologia da obra de arte e seu significado hermenêutico
        • 2.1. O jogo como fio condutor da explicação ontológica
          • 2.1.1. O conceito do jogo
          • 2.1.2. A transformação do jogo em configuração (Gebild) e a intermediação total
          • 2.1.3. A temporalidade da estética
          • 2.1.4. O exemplo do trágico
        • 2.2. Deduções estéticas e hermenêuticas
          • 2.2.1. A valência ontológica do quadro
          • 2.2.2. O fundamento ontológico do ocasional e do decorativo
          • 2.2.3. A posição-limite da literatura
          • 2.2.4. A reconstrução e a integração como tarefas hermenêuticas
    • SEGUNDA PARTE: A EXTENSÃO DA QUESTÃO DA VERDADE À COMPREENSÃO NAS CIÊNCIAS DO ESPÍRITO
      • 1. Preliminares históricas
        • 1.1. A questionabilidade da hermenêutica romântica e sua aplicação à historiografia
          • 1.1.1. A transformação da essência da hermenêutica entre o Aufklärung e o Romantismo
          • 1.1.2. A conexão da escola histórica na hermenêutica romântica
            • a) O dilema face ao ideal da história universal
            • b) A concepção histórica do mundo de Ranke
            • c) A relação entre historiografia e hermenêutica em J.G. Droysen
        • 1.2. O enredamento de Dilthey nas aporias do historicismo
          • 1.2.1. Do problema epistemológico da história à fundamentação hermenêutica das ciências do espírito
          • 1.2.2. A discrepância entre a ciência e a filosofia da vida na análise da consciência histórica de Dilthey
        • 1.3. A superação do questionamento epistemológico pela investigação fenomenológica
      • 2. Os traços fundamentais de uma teoria da experiência hermenêutica
        • 2.1. A elevação da historicidade da compreensão a um princípio hermenêutico
          • 2.1.1. O círculo hermenêutico e o problema dos preconceitos
            • a) A descoberta de Heidegger da pré-estrutura da compreensão
            • b) O descrédito que sofreu o preconceito através do Aufklärung
          • 2.1.2. Os preconceitos como condição da compreensão
            • a) A reabilitação de autoridade e tradição
            • b) O exemplo do clássico
          • 2.1.3. O significado hermenêutico da distância temporal
          • 2.1.4. O princípio da história efeitual
        • 2.2. A retomada do problema hermenêutico fundamental
          • 2.2.1. O problema hermenêutico da aplicação
          • 2.2.2. A atualidade hermenêutica de Aristóteles
          • 2.2.3. O significado paradigmático da hermenêutica jurídica
        • 2.3. A análise da consciência histórica efeitual
    • TERCEIRA PARTE: A VIRADA ONTOLÓGICA DA HERMENÊUTICA NO FIO CONDUTOR DA LINGUAGEM
      • 1. A linguagem como médium da experiência hermenêutica
        • 1.1. A lingüisticidade como determinação do objeto hermenêutico
        • 1.2. A lingüisticidade como determinação da execução hermenêutica
      • 2. A cunhagem do conceito de "linguagem" ao longo da história do pensamento do mundo ocidental
        • 2.1. Linguagem e logos
        • 2.2. Linguagem e verbum
        • 2.3. Linguagem e formação de conceito
      • 3. A linguagem como horizonte de uma ontologia hermenêutica
  • Verdade e Método II
    • I - INTRODUÇÃO
    • II - PRELIMINARES
      • 2. O problema da história na filosofia alemã mais recente (1943)
      • 3. A verdade nas ciências do espírito (1953)
      • 4. O que é a verdade? (1957)
      • 5. Sobre o círculo da compreensão (1959)
      • 6. A natureza da coisa e a linguagem das coisas (1960)
      • 7. A história do conceito como filosofia (1970)
      • 8. Hermenêutica clássica e hermenêutica filosófica (1968)
    • III - COMPLEMENTOS
      • 9. Sobre a problemática da autocompreensão - Uma contribuição hermenêutica ao tema da "desmitologização" (1961)
      • 10. A continuidade da história e o instante da existência (1965)
      • 11. Homem e linguagem (1966)
      • 12. Sobre o planejamento do futuro (1965)
      • 13. Semântica e hermenêutica (1968)
      • 14. Linguagem e compreensão (1970)
      • 15. Até que ponto a linguagem prescreve o pensamento (1970)
      • 16. A incapacidade para o diálogo (1972)
    • IV - OUTROS DESENVOLVIMENTOS
      • 17. A universalidade do problema hermenêutico (1966)
      • 18. Retórica, hermenêutica e crítica da ideologia - Comentários metacríticos na Verdade e método I (1967)
      • 19. Réplica a Hermenêutica e crítica da ideologia (1971)
      • 20. Retórica e hermenêutica (1976)
      • 21. Lógica ou retórica? - De volta à história primitiva da hermenêutica (1976)
      • 22. A hermenêutica como tarefa teórica e prática (1978)
      • 23. Problemas da razão prática (1980)
      • 24. Texto e interpretação (1983)
      • 25. Destruição e desconstrução (1985)
    • V - ANEXOS
      • 26. Excursos I-VI (1960)
      • 27. Hermenêutica e historicismo (1965)
      • 28. Hermenêutica (1969)
      • 29. Posfácio referente à 3a edição (1972)
      • 30. Auto-apresentação de Hans-Georg Gadamer (concluído em 1975)

Compartilhar

Notícias

Recomendamos o livro «Sobre a Essência da Informática», aos interessados em uma reflexão filosófica sobre a técnica, e em particular a informática. Para ler o livro é necessário o leitor Kindle, seja individual ou seja para PC, Mac ou IPAD. O livro pode ser comprado e baixado na: AMAZON e AMAZON BRASIL